As relíquias de Santa Luzia e a igreja em Veneza

Uma história de fé e devoção liga as relíquias de Santa Luzia e a igreja em Veneza dedicada à santa. Quem já esteve na cidade provavelmente se lembra do nome da estação de trens principal, Venezia Santa Lucia, ou seja Veneza Santa Luzia.

A razão do nome é que no lugar onde hoje se encontra a estação, no passado estava igreja e o convento de Santa Luzia, um projeto do conhecido arquiteto Andrea Palladio. Em 1861, no período em que Veneza estava sob dominação austríaca os edifícios foram demolidos para a construção da estação de trem. A igreja de Santa Luzia era muito querida pelos fiéis porque guardava um tesouro especial, o corpo da santa protetora dos olhos.

Mas como este tesouro veio parar em Veneza? A história é repleta de detalhes e reviravoltas.

Uma santa siciliana

Santa Luzia nasceu na cidade de Siracusa em 23 de março do ano de 283 e morreu mártir em 13 de dezembro de 304. Seu corpo foi levado por um general bizantino para Constantinopla (atual Istambul) anos depois, em 1040. Mas em 1204, os venezianos saquearam a cidade bizantina e um dos tesouros levados durante esta ação foi o corpo de Santa Luzia. 

Quando o corpo de Santa Luzia chegou a Veneza, ele foi levado para a ilha de São Jorge, onde fica a bela igreja que a gente vê quando nos posicionamos na frente do Palácio Ducal. Durante uma procissão em honra de Santa Luzia, um barco de fiéis virou e seus ocupantes se afogaram na laguna. A trauma causado pela tragédia foi tão grande que resolveu-se levar as relíquias da santa para outro lugar.

Um novo lugar para as relíquias

Foi assim que o corpo de Santa Luzia chegou ao bairro de Cannaregio, exatamente onde hoje fica a estação de trens. A antiga igreja, que ali ficava, teve origem provavelmente em 1192 e era dedicada a Santa Maria da Anunciação. Com a chegada da relíquia foi consagrada à santa protetora dos olhos. A antiga igreja de Santa Luzia, assim como muitos edifícios religiosos de Veneza, passou por grandes mudanças ao longo dos séculos. Em 1580, Andrea Palladio havia feito alguns desenhos de projetos para a parte interna.

A nova igreja passou a ser administrada pelas freiras do convento Corpus Domini e o corpo ficou anos sob seu possesso. Quando chegou o momento do corpo ser levado para a igreja, elas não conseguiam desapegar e se recusaram a ceder. O governo teve de intervir e ameaçou construir um muro enorme no convento para que não saísse e nem entrasse ninguém. Quando os pedreiros começaram a obra elas finalmente entregaram o corpo. 

Mas em 1860, Veneza vivia uma nova era. A estação de trens estava sendo construída, e não havia mais espaço para a igreja que abrigava o corpo de Santa Luzia. Assim, decidiu-se pela sua demolição e as relíquias foram levadas para a igreja de São Jeremias, a poucos metros dali. 

O corpo de Luzia repousa em uma capela da igreja, construída com o mármore proveniente do edifício demolido. A santa está vestida com um manto vermelho e uma máscara de prata que cobre sua face. Hoje, o santuário é meta de peregrinos e devotos de todo o mundo.

O roubo do corpo

Em 7 de novembro de 1981,  ladrões entraram na igreja, agrediram o sacerdote, os fiéis e levaram o corpo da santa embora, deixando pra trás só a máscara de prata que cobria seu rosto. Foi um momento de grande comoção em todo o país. Os devotos fizeram promessas e orações até que o corpo foi encontrado misteriosamente em uma pequena cidade nas proximidades de Veneza. Uma pessoa foi presa mas logo depois voltou à liberdade por falta de provas. O corpo de Santa Luzia voltou para o altar de sua igreja 36 dias depois, no dia 13 de dezembro, dia que se comemora a santa.

O santuário de São Jeremias e Santa Luzia fica no bairro de Cannaregio, a poucos metros da estação de trens de Veneza. Para conferir o horário de funcionamento, é recomendável acessar o site.

As fotos da parte interna da igreja foram tiradas do site do santuário.
 







1 comment
Previous Post