Villa Foscari, a Malcontenta, vila vêneta de Palladio

Se pudessemos voltar ao tempo ou ter imagens do ano de 1560, veríamos surgir no meio de uma paisagem incontaminada e isolada, uma construção com a imponência e importância de um templo antigo. Villa Foscari, a Malcontenta, causava estupor quando foi projetada naquele ano por Andrea Palladio.
O Naviglio do Breta, onde está posicionada, era o curso onde escorria as águas do rio Brenta, que abastecia Veneza naqueles anos. A proximidade com a cidade sede da República atraía os abastados na construção de casas de campo onde passavam temporadas com a família e recebiam os amigos. Assim, diversas construções como estas, chamadas vilas, foram construídas na região do Vêneto.

A Villa Foscari, também conhecida como a Malcontenta, era o retiro da família Foscari, conhecida e respeitada em Veneza, proprietária da Ca’Foscari, palácio no Canal Grande, hoje sede da universidade. Diferentemente das outras vilas vênetas, a Malcontenta não era destinada à produção agrícola, mas sim uma casa de campo para o descanso e para receber amigos.

A arquitetura da vila, por Andrea Palladio

Andrea Palladio foi o arquiteto escolhido para projetá-la entre 1556 e 1559, visto seu prestígio, Naquela época, a escolha de Palladio reforçava o poder da família que o designava na concepção da vila. Alguns elementos relembram a tradição da construção de Veneza, como a fachada principal do edifício voltada para a água. Mas a tradição clássica, marcante em várias obras de Palladio se revela no templo sustentado por colunas jônicas e posicionado na parte central do edifício.

O templo é emoldurado por duas escadas simétricas que conduzem à entrada da casa e funcionavam como um verdadeiro percurso para os convidados que chegavam à vila. A parte interna da vila é totalmente coberta – paredes e teto – com ciclos de afrescos como se usava na época. A decoração ficou a cargo do artista veneziano Battista Franco e sucessivamente a Battista Zelotti e Bernardino India, que pintaram motivos mitológicos, as artes e as virtudes, como nas tradicionais vilas vênetas.
Foto site oficial
Foto: site oficial
Foto: site oficial

A lenda da Malcontenta

Sobre a Villa Foscari paira uma antiga lenda que lhe rendeu um curioso apelido, “La Malcontenta”. Dizem que uma mulher da família Foscari, em razão de seu comportamento libertino, foi trazida de Veneza pela família e exilada na vila. Ali, ela viveu seus últimos 30 anos. Reclusa, triste e envergonhada, nunca saiu da casa nem mesmo chegava perto das janelas. Depois de sua morte solitária, dizem que um fantasma passou a rondar a propriedade, uma mulher de pele clara, cabelos ruivos e um vestido preto muito elegante.

A outra explicação para o nome, mais realista, é que o rio Brenta, que passa em frente à vila, muitas vezes transbordava e diziam que ele era “mal contido”, por isso Malcontenta.

LEIA MAIS: VILLA PISANI, A RAINHA DAS VILAS VÊNETAS

Visita e horários

A Villa Foscari é uma propriedade privada e como parte do conjunto de obras de Palladio, está incluída na lista do Patrimônio UNESCO. Os donos são da família Foscari, que a adquiriram nos anos 70, depois que ela passou pela mão de outros proprietários. Não é possível fazer fotos na parte interna da vila. As fotos que ilustram o post e mostram a vila pelo lado de dentro foram retiradas do site oficial.

O edifício fica na cidade de Mira, bem próximo a Veneza. A melhor maneira de chegar é de carro, mas existem duas linhas de ônibus que saem de Veneza e de Mestre e que levam até Malcontenta. Informações sobre horários você encontra neste link.

A Malcontenta fica aberta de abril até 31 de outubro todos os dias, das 9h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h30. É sempre melhor checar os horários atualizados no site ou na página Facebook da vila. O ingresso custa 10 euros.

0 comments
Previous Post
Next Post