Veneza e seus canais congelados, isso é mesmo possível?

Os últimos anos têm sido instáveis do ponto de vista climático. Cientistas, estudiosos, metereologistas e a nossa vivência do dia a dia têm-nos mostrado o quanto frágil o nosso globo é. O inverno em Veneza é cercado de eventos curiosos como a neblina e a famosa “acqua alta”. Mas e o gelo, será possível ver os canais de Veneza completamente congelados?

Algumas fotos que circularam pela internet criaram a falsa notícia que o frio intenso teria congelado os canais de Veneza. Na verdade, as imagens são uma criação do fotógrafo e artista digital Robert Jahns e não correspondem à realidade. Mas a pergunta fica: os canais de Veneza podem congelar?

O trabalho do fotógrafo Robert Jahns

É um fenômeno muito atípico. Durante alguns invernos de temperatura mais rígida, é possível que a laguna de Veneza se congele em alguns pontos, geralmente onde o movimento dos barcos não é intenso, ou seja, fora da cidade e do centro histórico. Para que a água comece a congelar é necessário que chegue a pelo menos 4 graus negativos.

Veneza congelada na história

Durante a história de Veneza, ficaram marcados alguns episódios em que a laguna congelou ao ponto que as pessoas podiam caminhar em alguns trechos. Um dos episódios mais recentes aconteceu no inverno de 1929. Naquela ocasião, a Itália viveu um período de muito frio. No Vêneto e em Veneza, as temperaturas chegaram a tocar -12 graus, junto ao vento gelado e neve. Algumas fotografias da época testemunham que era possível alcançar o cemitério da Ilha de San Michele caminhando.

Ao longo dos séculos, a laguna de Veneza congelou algumas vezes, não sei precisar quantas, alguns dizem mais de 20 vezes. O que ficou foram algumas obras de arte, espalhadas pelos museus de Veneza que comprovam que o fenômeno acontecia em uma época que o movimento dos barcos não era intenso como hoje.

O inverno de 1708/1709 não foi clemente com a Europa. No Reino Unido o episódio ficou conhecido como Great Frost, na França foi chamado de Grand Hiver, em Veneza, as temperaturas chegaram a -17 graus. Em dezembro de 1708, o rei da Dinamarca e Noruega, Federico IV, chegou a Veneza e sua visita ficou marcada como o episódio em que um monarca trouxe consigo o gelo do norte.

Procurando hotel em Veneza? Clique aqui

O fato foi imortalizado por um pintor vêneto desconhecido em um divertido quadro hoje exposto na Fondazione Querini Stampalia, onde vê-se a área da Fondamente Nove (de onde sai o vaporetto para Burano) completamente congelada e invadida por “pedestres.”

La laguna ghiacciata alle Fondamenta Nuove nel 1708, pintor desconhecido

Em 1788, ou seja, 80 anos depois, a laguna congelou novamente. Desta vez, o pintor Francesco Battaglioli, registrou o episódio no quadro “Veduta della Laguna ghiacciata con l’isola di San Secondo”.

Veduta della laguna ghiacciata con l’isola di S. Secondo, Francesco Battaglioli

Recentemente, em fevereiro de 2012, a laguna congelou novamente, mas nada comparado ao fenômeno acontecido nos séculos passados. Apenas algumas áreas ficaram cobertas de gelo e as embarcações transitaram normalmente.

Fevereiro 2012 – Foto Corriere del Veneto

Se a sua preocupação era encontrar os canais de Veneza congelados no inverno, fique tranquilo. Se o tempo for rigoroso, prepare-se para uma possível maré alta, neblina ou quem sabe até poucos flocos de neve. A cidade fica linda do mesmo jeito.

 

6 comments
Previous Post
Next Post