Conheça a região de Valdobbiadene,terra do prosecco

Vinho espumante tem cara de festa, alegria e descontração. O prosecco nos últimos anos vem conquistando o mundo com um sucesso fácil de decifrar e que cabe dentro de uma taça: qualidade, preço e forte identidade. O sabor frutado e leve faz com que o prosecco seja um vinho versátil, que pode ser consumido com diversos tipos de pratos, sobremesas ou simplesmente como um aperitivo.

A província de Treviso, onde fica a cidade onde eu moro, é a principal zona de produção de prosecco. Aqui na Itália, a exemplo da França, existem regras e legislações rígidas no que diz respeito à produção do vinho. O sistema de denominação de origem (DOC) é a garantia de que o produto é realizado seguindo uma série de regras que respeitam as técnicas, a matéria prima e todo o processo envolvido no desenvolvimento do vinho de uma certa região. É que cada uva e cada terroir têm suas características.
valdobbiadene terra do prosecco
Nos anos 90 quando começou a expandir a produção, o prosecco era uma variedade de uva, e não uma região, como é o Chianti, por exemplo, o que acontecia era que qualquer um podia fabricar prosecco, em qualquer lugar, sem muito controle. Em 2009, porém, foi criada a Denominação de Origem Controlada e Garantida (DOCG) Prosecco e a partir daí, prosecco passou a ser uma zona limitada e a uva foi rebatizada como glera. Com isso, o prosecco foi dividido em uma pirâmide com três categorias.
prosecco

Tipos de prosecco

Prosecco DOC
O prosecco DOC é o vinho produzido num território extenso que inclui algumas províncias da região do Vêneto e uma pequena área da região do Friuli. Geralmente feito com as uvas cultivadas em planície e quase sempre recolhidas com máquina.

Prosecco DOCG

O prosecco DOCG é produzido na zona histórica de Conegliano Valdobbiadene,nas colinas da província de Treviso, a 50km de Veneza, numa área onde o clima mais fresco ressalta os aromas e o sabor da uva glera. É interessante dizer que por ser uma região de colina, a colheita da uva é feita manualmente, o que significa que a cada taça de prosecco que a gente bebe tem um trabalho imenso e um envolvimento humano por trás. O prosecco DOCG pode ser Dry (mais doce), Extra Dry (doce) ou Brut (seco).

Cartizze

A ponta da pirâmide fica por conta da região Cartizze, que é uma colina de mais ou menos 106 hectares que dizem ser o metro quadrado mais caro da Itália, 1,2 milhões de euro por hectare. De lá vêm as uvas que produzem o prosecco mais precioso. Tive o privilégio de conhecer a colina Cartizze quando visitei a Cantina Bisol, uma das mais renomadas da região. A família Bisol possui 3 hectares de terra em Cartizze e produz vinhos de excelência comercializados em todo o mundo e destinados a um público de alto nível. A famosa Osteria senza Oste, ou bar sem dono também fica na colina do Cartizze.

piramide-docg2

Além do vinho, o que chama mais atenção no território de produção do prosecco é a paisagem. As colinas de Valdobbiadene são belíssimas e as pequenas cidades da região têm grande importância histórica, já algumas das batalhas entre italianos e austríacos durante a I Guerra Mundial aconteceram nesta zona. Em 2008, foi dado início ao processo de pedido de reconhecimento das colinas de Conegliano e Valdobbiadene como Patrimônio UNESCO.

bar sem dono

 

Estrada do Prosecco

a estrada do prosecco em treviso

A Estrada do Prosecco é um itinerário turístico à descoberta da zona de produção do vinho. Foi instituída em 2003 e pode ser percorrida inteiramente ou só nos pontos de seu maior interesse. O percurso, de 50 km, parte da cidade de Conegliano, onde fica uma das mais importantes escolas de enologia da Itália. As principais cidades que merecem uma parada são:

San Pietro di Feletto – além das colinas você pode admirar a Pieve di San Pietro, uma belíssima igreja erguida no século VIII e seus afrescos.

Refrontolo – uma das paisagens mais sugestivas de toda a estrada, é onde fica um antigo moinho, o Molinetto della Croda, construído no século XVII e utilizado por uma família de camponeses para produzir a farinha.

molinetto croda estrada prosecco

Farra de Soligo – em uma colina de Farra você irá encontrar uma das igrejinhas mais pitorescas da região. A igrejinha San Gallo fica no cume da colina, com um panorama de tirar o fôlego. O lugar é o sonho de consumo de todas as noivas da região.

estrada do prosecco chiesa san gallo

Col San Martino – por aqui vale a pena admirar a igrejinha de San Vigilio, um dos pontos mais fotografados da estrada.

Valdobbiadene – seguindo em direção a Valdobbiadene, você irá encontrar o percurso mais belo de toda a estrada, as curvas repletas de vinhedos que mudam de acordo com a estação do ano. Não deixe de parar na Osteria senza Oste, ou o bar sem dono, de onde se tem a vista mais linda diretamente da colina do Cartizze.

bar sem dono prosecco

Outras cidades interessantes e próximas do percurso

Follina – a cidade possui uma das abadias mais antigas e bem conservadas de todo o território do Vêneto.

estrada prosecco

Cison di Valmarino – um dos borgos mais belos da Itália. Saiba mais sobre a cidade neste post.

cison valmarino estrada prosecco

A região do prosecco fica bem perto da cidade de Treviso, que por sua vez está a apenas 30 minutos de Veneza. O melhor modo para se locomover entre uma cidade e outra é o carro. Para quem tiver interesse em visitar uma vinícola e fazer uma degustação eu indico a Cantina Bisol ou a Villa Sandi.

Procurando hotel em Veneza? Clique aqui

 

 

 

18 comments
Previous Post
Next Post