25 fatos sobre Veneza

Não é só a atmosfera de mistério que torna Veneza fascinante. Uma cidade construída sobre as águas tem características únicas, que deixam seus milhões de visitantes intrigados e curiosos. Há pouco tempo fui desafiada no Snapchat – já me segue lá? – a falar sobre os 50 fatos da cidade. Eu contei 25 fatos sobre Veneza, que repito por aqui para quem não pôde assistir.

1 – Veneza é uma ilha

 … formada por outras 124 ilhotas que foram anexadas umas às outras ao longo da criação e construção da cidade. Para saber como Veneza foi construída, clique aqui.
Foto: Daily Overview

2 – Veneza tem a forma de um peixe

 …. se a olharmos de cima, ou observamos seu mapa, dá pra ver o peixe e dentro dele uma espécie de “tripinha” que corresponde ao Canal Grande.

3 – Existem duas pontes que ligam a ilha ao continente

 …. a Ponte da Liberdade (Ponte della Libertà) tem quase 4km e é o único meio de acesso de carros e trem à ilha. A parte ferroviária foi construída em 1846. Em 1933, quase 90 anos depois, foi inaugurada a ponte adjacente para a passagem de veículos, chamada inicialmente de Ponte Littorio. Depois da II Guerra, a ponte passou a chamar Ponte della Libertà, simbolizando a liberação do nazi-fascismo.
Foto: Internet

4 – As pontes que atravessam o Canal Grande são 4

 ….a primeira é a Ponte de Rialto, inauagurada em 1591. As outras pontes foram construídas muitos séculos depois. A Ponte da Accademiafoi inaugurada em 1933 e a Ponte degli Scalzi um ano depois. A última das pontes é a Ponte della Costituzione, projeto de Santiago Calatrava, do ano de 2008. Para saber sobre cada uma das pontes que atravessam o Canal Grande, clique aqui.

5 – Os meios de transporte em Veneza

 …. são bem restritos. Aqui se anda de vaporetto (que é o ônibus barco), táxi barco, gôndola, ou a pé. Os carros e ônibus chegam somente até a Piazzale Roma ou até o Tronchetto, que é uma ilha estacionamento. Saiba mais sobre transportes e logística em Veneza neste post.

6 – As gôndolas em Veneza

 … são cerca de 425 e os gondoleiros passam por um processo de seleção rigoroso que avalia além dos aspectos técnicos de como guiar uma gôndola, conhecimentos linguísticos e históricos. Um passeio de gôndola de 30 minutos custa 80 euros, depois das 19h, o preço sobe para 100 euros. Em uma gôndola cabem até 6 pessoas. Para saber mais sobre a história das gôndolas de Veneza, clique aqui.Se quiser saber se realmente vale a pena andar de gôndola, clique aqui.

7 – Existem as gôndolas traghetto

 … que são gôndolas simples que atravessam o Canal Grande em alguns pontos da cidade. Geralmente são utilizadas pelos moradores que pagam 0,70 centavos para a travessia. Para os não venezianos e turistas, a tarifa é de 2 euros. O “passeio” não dura mais de 4 minutos.

8 – Os habitantes de Veneza

 … são 54.500 pessoas que vivem na ilha. Estima-se que cerca de 2000 pessoas a deixam por ano. Entre os motivos, a especulação imobiliária e as dificuldades de se viver em um lugar como este.

9 – O Canal Grande

 … é a avenida sobre as águas que cruza a cidade. São 4,2 km de extensão e ele é profundo de 3 a 5 metros. Aqui foram construídos os palácios dos nobres venezianos e as casas fondaco, que abrigavam os comerciantes e as mercadorias.

10 – As osterias de Veneza

 … são as antigas hospedarias onde os comerciantes e forasteiros dormiam ou paravam para se alimentar. Existem desde antes de 1300 e hoje funcionam como restaurantes ou simples bares onde comer e tomar um vinho. Saiba mais sobre as osterias venezianas aqui.

11 – A briccola

 … são os troncos de árvore que encontramos por toda Veneza que demarcam e orientam a navegação dos barcos. A pallina, por sua vez, é aquele tronco colorido, pintado de duas cores, que serve para amarrar a gôndola.

12 – Os bairros de Veneza

… são divididos por “sestieri” e são 6: San Marco, Castello, San Polo, Dorsoduro, Cannaregio, Santa Croce. Dizem que a ponta da gôndola indique os bairros da cidade, a ilha da Giudecca e o chapéu do doge. Para conhecer as atrações de Veneza por bairros, veja aqui o Mini Guia Bairro a Bairro de Veneza. 

13 – O Leão

… é o símbolo da cidade. Diz a lenda que São Marcos fez várias pregações pelo território de Veneza, antes que existisse a cidade. E que um dia o leão fez uma aparição dizendo que o santo ali encontraria seu repouso eterno. Para quem não sabe, o corpo do santo está guardado dentro da Basílica. Conheça aqui algumas curiosidades sobre a Basílica de São Marcos.

14 – A Praça São Marcos

 … é a única praça da cidade. Todas as outras “pracinhas” são chamadas de “campo”. São Marcos é conhecida como a sala de estar do mundo e era o centro do poder público e político da cidade. Com seus cafés históricos e edifícios monumentais é o cartão postal mais famoso de Veneza. Conheça aqui algumas curiosidades sobre a Praça São Marcos. 

15 – Rialto

 … é o núcleo mais antigo da cidade e desde sempre foi o coração comercial de Veneza. Alguns dos bancos mais antigos do mundo surgiram aqui para as trocas e comércio com o Oriente.

16 – Em Rialto funcionava um grande mercado

 … que era dividido em áreas de acordo com os produtos. Casaria, onde eram vendido os queijos, Erbaria, onde eram vendidas as ervas, Naranzeria, onde eram vendidos as frutas cítricas e assim por diante. Hoje, em Rialto funciona ainda o Mercado do Peixe e das frutas. Um passeio imperdível.

17 – A igreja mais antiga de Veneza

 … também está em Rialto. San Giacomo di Rialto, mais conhecida como San Giacometo, foi consagrada em 421, mas a construção como é vista hoje, é mais recente, do século XII. Em 1514, quando a zona de Rialto pegou fogo e muitos edifícios ficaram comprometidos, a igreja de San Giacometo foi a única que não sofreu danos.
San Giacomo di Rialto, em obra de Canaletto

18 – A Igreja Santa Maria dei Frari

 … é um dos maiores e mais importantes edifícios religiosos de Veneza. Fundada no século XII, sofreu várias modificações ao longo dos séculos. No seu interior, além de obras de enorme importância como a Assunção de Ticiano (reproduzida em várias outras igrejas), estão monumentos fúnebres de artistas venezianos e doges. O ingresso custa somente 3 euros. Saiba mais sobre a Basílica dei Frari neste post.  

19 – A igreja da Saúde

 … é um verdadeiro esplendor que marca a paisagem da cidade. Ela foi construída como agradecimento a Nossa Senhora por ter livrado Veneza de um dos piores surtos de peste da história, em 1630. A igreja é repleta de simbologias e todos os anos, os venezianos comparecem em peso para a festa que homenageia a Madonna della Salute. Para saber mais sobre a história e a construção da Basílica, clique aqui. 

20 – Em Veneza a coleta de lixo

 … é realizada por barcos. O sistema é de coleta seletiva. Em alguns bairros são os moradores que levam o lixo até o barco do lixo, em outros são os lixeiros, conhecidos como neturbini, a retirar.

21 – O cemitério de Veneza

 … fica em uma ilha, entre Veneza e Murano. A Ilha de San Michele (São Miguel) virou o cemitério da cidade em 1804, depois da queda da República. Se você tem um tempinho a mais, vale a pena fazer uma parada para conhecê-lo antes de seguir para Murano. Para ler mais sobre o cemitério de Veneza e saber como chegar, clique aqui.

22 – Os pratos típicos de Veneza

… baseiam-se principalmente na culinária de mar e da laguna. A abertura do comércio com o Oriente fez com que fossem adotadas também técnicas de conservação e ingredientes como temperos e especiarias. Um dos meus preferidos é a sarde in saor, uma espécie de sardinha marinada em camadas com cebola, pinoli e uva passa. Saiba o que pedir em um restaurante na cidade pra poder aproveitar uma comida saborosa e fresca. Neste post eu falo sobre 5 pratos típicos de Veneza. 

23 – As janelas dos palácios venezianos

…chamam a atenção pela forma e beleza. As bíforas são as que têm duas aberturas, as tríforas possuem três aberturas e as políforas possuem quatro ou mais aberturas

24 – O campanário da igreja de São Marcos

… desmoronou em uma manhã de verão de 1902. Por muito tempo a estrutura sofreu danos com o tempo, mas também porque funcionava como para raios. Durante a queda ninguém ficou ferido.

25 – O número anual de pessoas que visitam Veneza

… supera os 10 milhões. O verão representa o pico e não pode-se afirmar que a cidade tenha um período de baixa estação, já que durante todo o ano recebe muitos turistas. O fato representa um risco, porque ameaça o equilíbrio da cidade que por sua constituição é tão frágil. Está ao turista respeitá-la, ser educado e ter um comportamento conforme algumas regras de educação e civilidade. Convido vocês a ler o post O turismo de massa vai acabar com Veneza?

Reprodução Nuova Venezia
Procurando hotel em Veneza? Clique aqui
4 comments
Previous Post
Next Post